Adolescente revoltado em casa?!

quinta-feira, 17 de setembro de 2009


Bom, se você tem um adolescente revoltado em casa ou é um adolescente revoltado vai se interessar por essa matéria que vou escrever:
Bom, são perguntas muito complexas, e independente do que for dito aqui, pode se aplicar em algumas teorias e outras não. Tudo é baseado em estudo.
Porque dizemos que adolescentes são "aborrescentes"? Porque os adolescentes são vistos com tanta dificuldade na hora de educar? 
Entre a puberdade e a idade adulta o indivíduo passa por etapas do desenvolvimento humano caracterizada por alterações físicas, mentais e sociais. Segundo a Organização Mundial da Saúde, adolescência  se encontra entre os dez e vinte anos de idade. No Brasil, o Estatuto da Criança e do Adolescente estabelece outra faixa etária: dos doze aos dezoito anos. Porém isso depende da maturidade de cada um e na sua subjetividade. Por isso hoje em dia é comum ouvir intrigas sobre baixar a maioridade penal, etc. 

    História
        No século XIX,  já observavam e descreviam os jovens como pessoas tranquilas, porém relata-se que havia um "turbilhão interior". (Já mostrando um aspecto de bagunça, passagem que levava ao crescimento).
       Na época fizeram um levantamento para descrever o comportamento da adolescência: 
-> Stanley Hall ("pai da adolescência") foi quem focou para este turbilhão, tempestade, estresse, tormenta na adolescência. Ele dizia que o responsável pelas "tempestades" era as transformações biológicas e mudanças no desenvolvimento psicológico. Quem influenciou Stanley foi Darwin, com a ideologia da evolução. Para ele, assim como as espécies, o ser humano se desenvolve e assim desenvolve seu psicológico.  
    Essas mudanças físicas, mentais e sociais recebem interpretações, significados e tratamentos diferentes, dependendo da época e da cultura na qual o indivíduo está inserido.
    Conclusão Stanley: o desenvolvimento do adolescente é biológico e genético e leva  ao desenvolvimento psicológico. A adolescência é Universal para ele. 
-> Década de XX: Foi posto em questão se a adolescência era Universal. 
    A antropóloga Margaret Mead e Ruth Benedict trabalharam juntas na ilha de Samoa com os índios, para provar que a adolescência/puberdade não é Universal e que apenas algumas culturas têm a "turbulência" da fase. 
  Elas relatam que os índios têm um rítuo de passagem da infância para a idade adulta, mas que não há o fenômeno da adolescência, pois ocorre uma participação das crianças em todas as vivências da comunidade (nascimento, alimentação, sexualidade, morte), desta maneira elas já estão habituadas a tudo que existe em seu mundo. As crianças não são as irresponsáveis e dependentes, até porque a educação não está centrada apenas nos pais, cada irmão cuida do irmão mais novo, já criando uma gradativa independência. Para se tornar adulto, o índio tem que usar arco-e-flecha mostrando a responsabilidade adquirida gradativamente, pelo cuidado e sobrevivência de sua cultura. Já na cultura americana as crianças são assexuadas, onde o mundo da criança é de irresponsabilidade, relação de dependência dos pais e o mundo adulto é o responsável e independente. 
 Conclusão das antropólogas: adolescência é um fenômeno sociocultural. 


-> Concepção de adolescência do Erikson: levanta críticas à Freud, sobre o conceito libidinal, pois se restringe ao desenvolvimento psicossexual e somente na infância e adolescência. Para Freud o adolescente tinha um conflito, para Erikson era uma crise normativa. 
Para ele, a adolescência é a fase central da vida do homem, pois se dá a formação da identidade. Para desenvolver a sua identidade o jovem passa por uma crise normativa: identidade X confusão de papéis. Ele propõe o desenvolvimento psicossexual do nascimento até a morte. 
-> Perspectiva Sócio-histórica: a adolescência é uma invenção da modernidade, perspectiva invencionista.O índio por exemplo, não era preparado e iniciado, ele tinha gradativamente o conhecimento de tudo que o cerca. Já a nossa cultura traz para o adolescência uma espécie de rebeldia por essa espera, pois ela é inibida de suas vontades. 
Isso foi um breve resumo do grande estudo sobre adolescência, que vou concluir com poucas linhas
O desenvolvimento da adolescência enfatiza
Emocional: com Freud no seu trabalho três ensaios, com encontro do objeto sexual, adolescencia constituída pela história do sujeito e suas experiências e declínio do complexo de édipo.
Identidade: Erikson e a formação da identidade e crise normativa.
Inteligência: Piaget, com o pensamento formal. Onde o adolescente constrói o pensamento abstracto, conceptual, conseguindo ter em conta as hipóteses possíveis, os diferentes pontos de vista e sendo capaz de pensar cientificamente. Egocentrismo intelectual onde o adolescente fica indiferente e ignora a multiplicidade de perspectivas, por isso  normalmente se opõe aos pais e pessoas mais velhas. Raciocínio Hipotético-Dedutivo: é o raciocínio que implica deduzir conclusões de premissas que são hipóteses, em vez de deduzir de fatos que o sujeito tenha realmente verificado.
Bom, depois desse estudo, vemos que não há uma receita pronta para educação, é todo um processo, uma transformação que precisa-se ter paciência.  

1 comentários:

Eu sou o GOOGLE disse...

Nossa, adorei, e demorei pois não havia visto seu comentário no blog.
trabalhei com adolescentes muitos anos, e sempre achei difícil entendê-los. Sua complexidade de auto-definição, sua busca por grupos, sua necessidade de agradar. Foi muito esclarecedor.
Quando era profe, eles me curtima e eu adorava conversar com eles, pois sou muito curiosa e queria poder ter les o máximo perto de mim.
E os tina, pois era a profe parceira, que eles podiam contar tudo, pois eu não chamava direção nem pais. Somente quando ia os prejudicar. O que fazia era eu mesma aconselhar, e muitas vezes funcionava. Eles me ouviam mais que se fossem chingados e humilhados por outra pessoa.

bj e vou lhe seguir também, so não achei o link ainda

Siga-me